Dia Internacional das Mulheres e Meninas na Ciência

O dia 11 de fevereiro é o Dia Internacional das mulheres e meninas na Ciência,   instituído em 2015 pela UNESCO e pela ONU-Mulheres para promover o acesso igualitário e participação na Ciência para meninas e mulheres. O tema deste ano é “Investimento em Mulheres e Meninas na Ciência para um Crescimento “Verde” inclusivo.” A sub-representação das meninas na educação em ciência, tecnologia, engenharia e matemática tem raízes profundas e coloca um freio prejudicial no avanço rumo ao desenvolvimento sustentável. Para estas áreas do conhecimento, muitas vezes se utiliza a sigla em inglês STEM (science, technology, engineering and mathematics).

Apenas 20 mulheres receberam o Prêmio Nobel em fisica, química ou medicina desde Marie Curie, em 1903, em comparação a 587 homens. Hoje, menos de 30% dos pesquisadores de todo o mundo são mulheres. Essas enormes disparidades, essa profunda desigualdade, não acontecem por acaso. Segundo o relatório “Decifrar o código: educação de meninas e mulheres em ciências, tecnologia, engenharia e matemática (STEM)”, publicado pela UNESCO no ano passado, muitas meninas são impedidas de se desenvolver por conta da discriminação, pelos diversos vieses e por normas e expectativas sociais que influenciam a qualidade da educação que elas recebem, bem como os assuntos que elas estudam.

A Astronauta da NASA Anne McClain, atualmente em missão na Estação Espacial Internacional, com seu filho de quatro anos em sessão de fotos oficial.

 

Em uma união de esforços com a UNESCO, a União Astronômica Internacional   promoverá diversas ações em vários países ao longo do ano, dentro do projeto “Mulheres e  Meninas na Astronomia”, como parte das atividades que serão promovidas para a comemoração do “IAU100 – Under One Sky” (Centésimo aniversário da União Astronômica Internacional).

De acordo com os dados mais recentes disponíveis pela Sociedade Astronômica Brasileira (SAB), em termos de representatividade, a SAB é uma das sociedades científicas brasileiras com a melhor divisão por gênero, apesar de ainda estarmos longe do ideal. Na categoria de sócios aspirantes, as mulheres representam 37% dos associados. Como é frequentemente observado, a porcentagem cai em níveis mais altos e na categoria de sócios efetivos, as mulheres representam 29% dos associados. A SAB tem trabalhado constantemente para que esses números se tornem cada vez mais equilibrados.

A Fundação Planetário, dentro de sua missão de contribuir para a educação não-formal e divulgação da astronomia no Brasil, promove regularmente atividades gratuitas e abertas ao público, que podem inspirar as meninas a se encantarem pelo céu. Todas as quartas-feiras e sábados, ao anoitecer, nossos telescópios estão apontados para os mais belos astros visíveis, esperando olhinhos curiosos. Traga sua menina para observar o céu com a gente! O sorriso no rosto ao final é garantia do Planetário!

OBS.: A atividade de observação do céu depende das condições meteorológicas. Em caso de céu nublado, a observação é cancelada.

Compartilhar
Flavia Lima
Astrônoma da Fundação Planetário da Cidade do Rio de Janeiro. Curadora da exposição "Filhos do Sol, Filhos da Lua: O Céu e o Tempo para os Povos Nativos das Américas", inaugurada no Planetário da Gávea em 2008. Suas áreas de interesse em pesquisa são: Astronomia nas Culturas, História das Ciências, Educação não Formal, Museus de Ciências e Planetários. http://lattes.cnpq.br/0371976596263745