Genesis

    Gênese é o nome do primeiro livro da Bíblia e é, também, sinônimo de “criação”. Por isso mesmo a NASA, agência espacial americana, escolheu esse nome para a missão que pretende explorar as origens do Sistema Solar.

    A sonda Genesis foi lançada em 8 de agosto de 2001. Seu objetivo: coletar o vento solar. “Vento solar” é o nome do fluxo contínuo de partículas emitidas pelo Sol. Além de luz e calor (formas diferentes de energia), o Sol, como qualquer estrela, emite partículas ionizadas rumo ao espaço. Partículas ionizadas são pedacinhos de átomos que possuem carga elétrica (um átomo, por sua vez, tem carga elétrica zero, ou seja, é neutro). A função principal da sonda Genesis é coletar esses íons no espaço. O estudo desse material permitirá aos cientistas refinar a teoria de formação do Sistema Solar e, portanto, entendermos melhor as nossas próprias origens.

    A Genesis foi colocada em um lugar muito especial do espaço: um ponto matematicamente calculado, entre a Terra e o Sol, onde a gravidade terrestre (que atrai os corpos rumo à Terra) contrabalança a gravidade solar (que atrai os corpos em direção ao Sol). Esse ponto é um dos pontos de Lagrange, uma homenagem ao matemático francês do final do século XVIII chamado Joseph-Louis Lagrange.

    Em 21 de outubro de 2001, a Genesis começou a coletar as partículas do vento solar. Em 2 de abril de 2004, 884 dias depois, a sonda havia completado sua missão, acumulando, aproximadamente, 0,4mg de material (parece pouco, mas isso equivale a cerca de 100 sextilhões de íons). Esse material é extremamente delicado, e a volta da sonda à Terra foi especialmente projetada para evitar qualquer tipo de contaminação.

    A Genesis será capturada em pleno ar, após a reentrada na atmosfera! Com a ajuda de pilotos profissionais e dublês de Hollywood, a NASA irá capturar sua sonda antes que ela atinja a superfície de nosso planeta. A chegada está programada para o dia 8 de setembro e promete ser emocionante.