Oposição de Júpiter

No próximo dia 8 de maio, o planeta Júpiter estará em oposição, melhor época para observá-lo. Ele já está bem visível no céu e permanecerá assim por um bom tempo mas, no período da oposição, ele fica mais tempo no céu noturno.

O que é oposição?

Ao girar ao redor do Sol, um planeta, cuja órbita seja externa em relação à Terra, em um dado momento, ficará em uma posição mais ou menos favorável para ser observado por nós. Quando o Sol, a Terra e o planeta ficam alinhados, nesta ordem, temos o que se chama oposição. Este nome vem do fato de que, visto da Terra, o planeta está oposto ao Sol: nasce na hora que o Sol se põe, fica visível a noite toda e se põe somente quando o Sol nasce. Outra vantagem para a observação na oposição é a distância menor, o que implica em uma imagem maior e mais brilhante.

Júpiter, como o vemos?

Ao olhar para o nascente (lado oposto de onde o Sol se pôs) por estes dias, logo no início da noite, você notará um astro bem brilhante (o mais brilhante do céu depois da Lua): é Júpiter. Ele estará visível na constelação da Balança, próxima ao Escorpião (uma das constelações mais fáceis de se identificar no céu do outono/inverno). No dia 27 de maio, Júpiter estará próximo à Lua, o que certamente será um alvo interessante para fotos.

Através de um telescópio amador, Júpiter se apresenta como um globo claro com alguns tênues riscos paralelos ao plano do seu equador, que são as faixas atmosféricas. Quase no mesmo plano, notam-se pequenas “estrelas alinhadas”. São as quatro maiores luas do planeta, chamadas Galileanas por terem sido descobertas por Galileu Galilei (1564-1642), em 1610. Estes satélites são Io, Europa, Calixto e Ganimedes. Júpiter tem 69 satélites descobertos até o momento.

Júpiter é o maior planeta do Sistema Solar e tem atraído atenção dos pesquisadores por muitos anos. Sabemos que, apesar de sua enorme massa e diâmetro, a densidade de Júpiter é menor que a do nosso planeta: trata-se de um gigante gasoso. Seis sondas já o pesquisaram até o momento. Desde julho de 2016, a sonda Juno orbita Júpiter trazendo uma enorme quantidade de dados sobre o planeta.

vistas de júpiter
Vistas de Júpiter: À esquerda acima – desenhos feitos por Galileu Galilei. À esquerda abaixo – foto telescópica. À direita acima – imagens mais detalhadas que se tem de Júpiter, feitas pela sonda JUNO (abaixo à direita). NASA

 

 

Compartilhar
Naelton Araujo
Astrônomo da Fundação Planetário da Cidade do Rio de Janeiro - Mestre em educação, gestão e difusão em ciências. Curador do Cineclube SciFi e idealizador do Encontro Nacional de Astronomia (ENAST). Especializado em Radioastronomia. Experiente em Mecânica Celeste, História da Astronáutica, e Ficção Científica. http://lattes.cnpq.br/6815906108362292